Dourado

Peixe de escamas. S. brasiliensis e S. maxillosus são bastante semelhantes, sendo que o primeiro, além de ser maior, apresenta uma coloração dourada com reflexos avermelhados, enquanto o segundo é dourado com as nadadeiras alaranjadas. Cada escama apresenta um filete negro no meio, formando riscas longitudinais da cabeça à cauda, do dorso até abaixo da linha lateral. Podem alcançar mais de 1m de comprimento total e 25kg, mas exemplares desse porte são raros. S. maxillosus é o maior peixe de escama da bacia do Prata, conhecido como o rei do rio.

  • Nome popular: Dourado
  • Nome científico: Salminus maxillosus; Salminus brasiliensis
  • Família: Characidae
  • Distribuição geográfica: Bacia do Prata (S. maxilosus) e bacia do São Francisco (S. brasiliensis). Descrição: Peixes de escamas. S. brasiliensis e S. maxillosus são bastante semelhantes, sendo que primeiro, além de ser maior, apresenta uma coloração dourada com reflexos avermelhado enquanto o segundo é dourado com as nadadeiras alaranjadas. Cada escama apresenta um filete negro no meio, formando riscas longitudinais da cabeça à cauda, do dorso até abaixo da linha lateral. Podem alcançar mais de 1m de comprimento total e 25 kg, mas exemplares desse porte são raros. S. maxillosus é o maior peixe de escama da bacia do Prata, conhecido como o rei do rio.
  • Ecologia: Espécies piscívoras, predadores vorazes, alimentam-se de pequenos peixes nas corredeiras e na boca das lagoas, principalmente durante a vazante quando os outros peixes migram para o canal principal. Nadam em cardumes nas correntezas dos rios e afluentes e realizam longas migrações reprodutivas. Têm grande importância comercial e esportiva.

    Equipamentos: Varas de ação média a pesada com linhas de 17, 20, 25 a 30 lb. É indispensável o uso de empate de arame ou de cabo de aço encapado com no mínimo 30 cm de comprimento. Os anzóis mais usados são os de nº 5/0 a 8/0.

    Iscas: Entre as iscas artificiais, as que apresentam melhores resultados são os plugs de meia água e as colheres, que podem ser utilizadas no corrico ou no arremesso em direção às margens. Iscas naturais como tuvira, sarapó, lambari, curimbatá e piraputanga também são bastante produtivas. Podem ser utilizadas na rodada, com um pequeno chumbo para afundar a linha e mantê-la na coluna d´água, ou deixando o barco rodar perto das margens onde a isca é jogada repetidamente em direção às galhadas.

    Dicas: Quando fisgados, esses peixes costumam dar saltos espetaculares fora d´água. Nesse momento, o pescador não pode bambear a linha, porque como a boca do dourado é difícil de ser perfurada, muitas vezes o peixe consegue “cuspir” a isca.

Voltar

Rio Doce Piscicultura

Elaboramos o consorciamento adequado de espécies para o seu lago, de acordo com a sua finalidade!

Praça Coronel José Pires - 49 A - Centro
São João da Boa Vista - SP
CEP - 13.870-243

contatos@riodocepiscicultura.com.br

+55 (19) 3056.6907
+55 (19) 98961.8180

Obrigado!! Sua mensagem foi enviada para nossos colaboradores. Em no maximo 24 horas estaremos respondendo sua mensagem.
Fale Conosco pelo WhatsApp